Tony Trindade

Quando a gestão se sobrepõe às diferenças políticas

Wellington Dias e Mão Santa se encontram e firmam acordo de enfrentamento à pandemia.

O prefeito de Parnaíba, Mão Santa (DEM), e o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), se reuniram ontem (09) na cidade litorânea, sentaram-se à mesa e firmaram acordo de cooperação entre município e estado no enfrentamento da pandemia. 

Adversários políticos ferrenhos, sobretudo da parte de Mão Santa, que se coloca como desafeto do PT, os dois sentaram para tratar de vidas. 

  
Wellington Dias e Mão Santa Instagram/ Wellington Dias
 
 
 

Em meio a um momento delicado da pandemia do novo coronavírus, Mão Santa e Wellington esqueceram as diferenças políticas para priorizarem a gestão. É assim que homens públicos sensatos devem se comportar. 

As diferenças devem existir na seara eleitoral e partidária, mas jamais na gestão pública, principalmente quando se enfrenta uma crise tão grave que afeta a população inteira. 

No acordo de cooperação técnica firmado, a prefeitura de Parnaíba vai ceder temporariamente à Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) parte da estrutura física do Hospital de Campanha Nossa Senhora de Fátima. 

A cessão será apenas na área que compreende leitos de UTI e leitos clínicos para o atendimento de pacientes com a Covid-19. 

Na mesma reunião estava o secretário de Saúde Florentino Neto (PT), ex-prefeito de Parnaíba e adversário de Mão Santa e sua família. 

O diálogo do prefeito com Florentino também foi respeitoso, digno de figuras públicas que sabem a importância desse tipo de tratativa, independentemente de rixas locais. 

Em tempos de beligerância política e radicalismos nocivos, esse tipo de encontro entre adversários (que deveria ser trivial) precisa ser celebrado e aplaudido. 

As coisas dificilmente são resolvidas sem diálogo e quando esta coisa é uma pandemia, aí se torna impossível.

Nesse momento, todos nós temos um inimigo comum: o vírus. Nosso radicalismo deve ser somente com ele.

Para vencê-lo, é necessário que se tenha determinação, serenidade e união. Que a parceria firmada pelas gestões de Mão Santa e Wellington Dias salve vidas e sirva de exemplo.

Mais conteúdo sobre:
Covid-19Florentino NetoMão SantaSesapiWellington Dias

Dê sua opinião:

Veja Também