Motoristas e cobradores afirmam que se sentem humilhados por empresários

Motoristas e cobradores paralisaram as atividades nesta segunda-feira e reivindicam melhores condições de trabalho.

A manhã desta segunda-feira (25) foi marcada pela falta de ônibus nas ruas de Teresina e por protesto na frente da Prefeitura municipal. Trabalhadores do transporte público pararam suas atividades pois alegam descaso por parte dos empresários e também afirmam que estão passando necessidades em casa.

Os trabalhadores relatam que os salários são pagos de forma irregular, e alguns ganham cerca de 200 a 300 reais. Cardoso, que integra o movimento, disse que os motoristas e cobradores estão expostos ao perigo e se sentem humilhados.

“Chegamos ao limite. É humilhante essa situação em que estamos vivendo. Nós levamos o dinheiro aos empresários, tem companheiros que foram assaltados, tem problema de saúde. Trabalhamos sem segurança, ainda temos que comprar os equipamentos de proteção porque eles não dão”, disse

Além da regularidade dos salários, os trabalhadores reivindicam a falta de segurança e de equipamentos de proteção. Eles alegam que estão sem ticket alimentação, plano de saúde e querem o cumprimento da Medida Provisória que trata da redução da jornada de trabalho.

O vice-prefeito de Teresina, Robert Rios, esteve presente na manifestação e alertou que a prefeitura está trabalhando para resolver a situação.

Robert Rios

“A Prefeitura não existe para sustentar empresa privada. Foi feito um acordo extrajudicial com a Prefeitura na gestão passada, um acordo danoso ao município. Nós vamos dialogar com a categoria e com a empresa, resolver olho no olho”, disse Robert Rios.

Uma reunião foi realizada entre o prefeito de Teresina, Dr Pessoa, representantes do Setut e funcionários do transporte coletivo.


Mais conteúdo sobre:
Dr PessoaPrefeitura de TeresinaSETUT

Dê sua opinião: