Lupa 1

Piso salarial

Reajuste de 16% para professores é aprovado sob protesto e confusão na Câmara

Os vereadores Ismael Silva (PSD), Evandro Hidd (PDT), Edson Mello (PSDB), Paulo Lopes (PSDB) e Aluísio Sampaio (PP) votaram contra o projeto.

A Câmara Municipal de Teresina aprovou o projeto encaminhado pela Prefeitura de Teresina que reajusta em 16% o piso dos professores da rede municipal de educação. Os professores, que já estavam de greve, não concordaram com o valor e mantiveram protestos na capital.

Protesto de professores na Câmara de Teresina (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Os vereadores Ismael Silva (PSD), Evandro Hidd (PDT), Edson Mello (PSDB), Paulo Lopes (PSDB) e Aluísio Sampaio (Progressistas) votaram contra o projeto. Os demais 23 vereadores votaram favoráveis ao projeto. O reajuste será feito de forma linear.

Protesto de professores em Teresina (Foto: Junior Santos/Lupa1)

Professores não concordam

Os professores da rede municipal de ensino não aceitam o reajuste de 16% e pedem que seja cumprido o reajuste anunciado pelo Governo Federal no fim do mês de janeiro, de 33,23%. Conforme o Sindicato dos Servidores Municipais, o reajuste do piso, anunciado por Bolsonaro, deverá ser cumprido de forma linear para toda a categoria.

Piso dos professores

Com a aprovação do reajuste de 16%, os vencimentos dos professores municipais fica: I – Professor de Primeiro Ciclo, Professor de Segundo Ciclo e Pedagogo - 40 horas – R$ 4.084,04 e II – Professor de Primeiro Ciclo, Professor de Segundo Ciclo e Pedagogo – 20 horas – R$ 2.042,22.

Mais conteúdo sobre:
Câmara Municipal de Teresina

Dê sua opinião: