Lupa 1
Especiais

Política

Sílvio Mendes e Bolsonaro: Por que o medo de assumir, apesar de tantas evidências?

Se ele não é apoiador de Bolsonaro, como diz, então qual pré-candidato a presidente Sílvio Mendes vai apoiar no Piauí?


Silvio Mendes, Ciro Nogueira, Iracema Portella e Joel Rodrigues. Em Brasília, ligados ao governo Bolsonaro, no Piauí afastam a imagem do presidente.

A campanha estadual no Piauí tem um confronto de versões. De um lado, o pré-candidato Sílvio Mendes (União Brasil) afirma que não é apoiador do presidente da República Jair Bolsonaro (PL) e que não o representa no estado do Piauí. Por outro, a base governista, que tem o pré-candidato a governador Rafael Fonteles (PT), aposta no confronto e associa o pré-candidato da oposição ao chefe do Palácio do Planalto. Fonteles, por sua vez, muito ao contrário do adversário, faz questão de  afirmar que é apoiado pelo ex-presidente Lula (PT).

Apesar de Sílvio garantir que não apoia Bolsonaro – e ainda que isso seja verdade – há razões de sobra para a população associar a imagem dele ao presidente, cujas intenções de voto no Piauí são bem desfavoráveis se comparadas às de Lula (PT).


Rafael Fonteles faz o inverso e é difícil ver alguma peça publicitária do pré-candidato sem a imagem do presidente Lula que apoia sua pré-candidatura.


O PRINCIPAL APOIADOR

O principal apoiador da pré-candidatura de Sílvio Mendes é o ministro da Casa Civil, senador Ciro Nogueira (Progressistas), considerado uma das principais peças do governo Bolsonaro, além de líder do Centrão, o bloco de partidos de centro que dão sustentação ao governo federal. O Centrão tem grande poder de influência na gestão de Bolsonaro e Ciro é um dos seus artífices. É, em boa parte com a estrutura do governo federal, que Ciro consegue manter uma forte base política no Piauí, a mesma base que apoia Sílvio.

Ciro Nogueira e Jair Bolsonaro (Foto: Isaac Nóbrega/PR)Enquanto o governo estadual tem o Palácio de Karnak a favor de Rafael Fonteles, Sílvio tem a máquina federal ao seu lado, por meio do ministro Ciro. Sílvio, inclusive, já participou de entregas de obras ao lado de Ciro no Piauí, ou seja, sua pré-campanha se beneficia de benfeitorias da gestão de Bolsonaro entregues nas cidades piauienses. Ciro, por sua vez, rasga elogios a Jair Bolsonaro e não esconde seu apoio.

Rasgar elogios a candidatos já é comum ao ministro que nas eleições de 2018 como presidente do PP, anunciou apoio nacional do partido a Geraldo Alckmin (PSDB) mas no Piauí fez uso massivo da imagem de Lula (PT) e em seguida apoiou o governo Bolsonaro.

O uso da imagem de Lula no Piauí sempre foi uma estratégia usada por vários candidatos.A PRÉ-CANDIDATA A VICE

Sílvio Mendes tem como companheira de chapa a deputada federal licenciada Iracema Portella (Progressistas). Ex-mulher de Ciro e grande aliada do ministro, Iracema é apoiadora do presidente Bolsonaro. Se Sílvio pode dizer que não apoia o presidente, o mesmo não se pode falar da sua vice, com quem ele viaja em pré-campanha pelo Piauí.

Iracema Portella e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)A relação familiar com Ciro Nogueira, já que a separação conjugal anunciada há três anos não os separou politicamente, faz com que Iracema Portella seja uma bolsonarista de carteirinha. Mas não diferente em tempos remotos a deputada federal também fazia questão de agregar sua imagem a do ex-presidente Lula.

Postagem em redes sociais da Deputada Federal Iracema Portella em registro com o ex-presidente Lula nas eleições de 2014.


SENADORES E DEPUTADOS

Outro ponto que evidencia a ligação do grupo de Sílvio Mendes com Bolsonaro é a base de políticos que apoiam a pré-candidatura do ex-prefeito de Teresina. O senador Elmano Férrer (Progressistas) é um apoiador declarado do governo Bolsonaro. O deputado federal Átila Lira também defende a gestão do atual presidente. Margarete Coelho, embora mais comedida, votou muitas pautas a favor do governo no Congresso.

Elmano Férrer, Margarete Coelho e Eliane Nogueira com o presidente Jair Bolsonaro (Foto: Presidência da República/Reprodução/Instagram) Apesar de alguns deputados da base do Karnak terem votado a favor de boa parte das pautas bolsonaristas no Congresso, a maioria está do lado de Sílvio Mendes. Não há nenhum bolsonarista assumido do lado de Rafael Fonteles. Já do lado de Sílvio são vários. Aliás, todos que têm mandato federal e apoiam Bolsonaro estão no palanque do pré-candidato da oposição Silvio Mendes.

QUEM É SEU PRESIDENTE?

Outro ponto que dificulta a desassociação de Sílvio de Bolsonaro é o fato de o pré-candidato dizer que não apoia o presidente, mas por outro lado não diz quem apoia. Se ele não é apoiador de Bolsonaro, então qual pré-candidato a presidente Sílvio Mendes vai apoiar no Piauí? Seu partido, o União Brasil, lançou o deputado federal Luciano Bivar como pré-candidato ao Planalto. Sílvio também não diz se apoia Bivar.


Nos anúncios para os encontros a imagem do presidente Bolsonaro ou de qualquer outro líder nacional ligado ao grupo político é sempre afastada de forma estratégica.Ainda que o voto seja secreto – e é um direito dele não revelar – não é muito comum um pré-candidato a governador, ainda mais competitivo como é o caso de Silvio, não ter um palanque de sua predileção em nível nacional. É, no mínimo, uma situação inusitada.


Sílvio Mendes, Iracema Portella e Joel Rodrigues (Foto: Reprodução/Instagram)ATÉ QUANDO?

Sílvio tem dito que sua pré-campanha vai focar no Piauí e que a eleição nacional será tratada pelos candidatos nacionais. Porém, não será fácil ele se desvencilhar da associação com o bolsonarismo, principalmente por conta de quem o cerca. O PL, partido de Bolsonaro, tem o major Diego Melo como pré-candidato a governador do Piauí e ele se diz o “verdadeiro” representante do presidente no estado, mas nenhum bolsonarista importante está no palanque do major. Estão todos é com Sílvio Mendes.

Sílvio pode até não gostar de ter sua pré-campanha associada a Bolsonaro, mas não vai conseguir fugir disso, porque não dispensa a estrutura que tem recebido, sabidamente originária do palácio do Planalto. As evidências dessa ligação são muito claras e, do outro lado, o Palácio de Karnak não vai abrir mão de mostrar a cada piauiense a  associação que Silvio tanto repulsa.

Não custa lembrar que, apesar dos movimentos de agora, a campanha ainda não começou.

Mais conteúdo sobre:
Ciro NogueiraJair BolsonaroSílvio Mendes

DÊ SUA OPINIÃO