Lupa 1

Política

Arthur do Val é cassado pela Alesp e fica inelegível por 8 anos

Ex-deputado estadual foi cassado após o vazamento de mensagens machistas e misóginas contra mulheres ucranianas.

O plenário da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) decidiu, nesta terça-feira (17), pela cassação do mandato do ex-deputado estadual e integrante do Movimento Brasil Livre (MBL) Arthur do Val.

  

Arthur do Val
Reprodução / Agência Brasil
   

Com isso, o político conhecido como "Mamãe Falei" fica inelegível por oito anos. A votação terminou com 73 votos a favor da cassação, nenhum contra, e zero abstenções.

Após a sessão, a defesa de Arthur disse que a decisão "deixa claro que foi promovida uma perseguição" contra o ex-parlamentar, e que o motivo principal seria "retirá-lo da disputa eleitoral deste ano".

Em nota enviada pela assessoria do político há também um argumento de que a punição foi desproporcional "já que a mesma Casa foi branda em relação a casos muito mais graves, como o do parlamentar Fernando Cury, que apalpou os seios de uma deputada e foi suspenso por apenas seis meses".

Renúncia

Arthur renunciou ao mandato em abril, no que foi visto por opositores como uma manobra para tentar evitar a continuidade do processo. Antes de abrir mão do cargo, o então deputado estadual chegou a admitir a possibilidade de ser cassado, mas garantiu que iria "cair atirando". A declaração ocorreu durante entrevista ao canal "Inteligência Ltda", no YouTube.

Relembre o caso 

O ex-parlamentar passou a enfrentar o pedido de cassação após vazamento de áudios com comentários sexistas sobre as mulheres ucranianas. À época, o debutado foi à fronteira entre a Eslováquia e a Ucrânia, país em situação de guerra, para, segundo ele, ajudar os ucranianos contra a Rússia.

O deputado enviou áudios a amigos, divulgados posteriormente pela imprensa, em que elogia a beleza das refugiadas ucranianas e diz que as mulheres de lá são “fáceis” por serem pobres.

Dê sua opinião: