Gustavo Almeida

Crise

O povo sofre

Opinião: trabalhador é o mais afetado pela alta dos preços no Brasil.

Um dos assuntos mais comentados nos últimos dias tem sido a alta nos preços de produtos essenciais na vida dos brasileiros, como a gasolina e o gás de cozinha. Ir ao supermercado com mais dinheiro e voltar com menos produtos também têm sido uma realidade no Brasil.

Esse cenário de preços altos castiga a todos, mas é o trabalhador quem sente na pele os reflexos desse momento. Enquanto isso, os governantes pouco fazem de efetivo para mudar essa situação. Para piorar, às vezes fazem com que o cenário fique ainda mais complicado.

O mais triste de tudo é saber que o povo brasileiro paga uma das mais brutais cargas tributárias do mundo. Impostos altos e cujo retorno por parte do poder público está bem longe de vir a contento. Um cenário agravado pela pandemia, onde, já em maio de 2020, 40% dos brasileiros haviam perdido poder de compra, conforme apontou a Confederação Nacional da Indústria.

Agora, em fevereiro de 2021, o litro da gasolina já está chegando a R$ 6 em algumas cidades longínquas nos rincões do país e o botijão de gás já passou dos R$ 100 nesses mesmos lugares. Um cenário que, somado aos altos preços de outros itens, leva ao empobrecimento de uma parcela significativa da população que já vivia com tão pouco no Brasil.

No Piauí, um dos estados mais pobres do país, o imposto estadual sobre o valor da gasolina é de 31%, um dos mais caros do Brasil. Em 2017, o governador Wellington Dias (PT) mandou para a Assembleia Legislativa projeto para aumentar o imposto sobre os combustíveis, tornando ainda mais caro o tributo estadual que já era um dos mais altos da Nação. Os deputados estaduais da base aliada do petista aprovaram o aumento do jeito que o governador quis, mesmo sob muitos protestos de empresários do ramo e de consumidores.

Em Brasília, de onde poderia vir, de um modo geral, uma solução mais efetiva sobre a alta nos preços e o controle da economia, o que se vê é um Congresso Nacional em que a briga por poder de uma parcela dos parlamentares parece maior que a vontade de discutir os problemas da população. No governo federal, por incrível que pareça, pautas como a facilitação do acesso às armas de fogo continua sendo prioridade enquanto o gás de cozinha passa dos R$ 100.

Em meio a esse cenário desolador, vive uma população de milhões de brasileiros. São pessoas de diferentes regiões, de diversos aspectos culturais, mas todas sofrendo em comum com o descontrole da economia, com a alta dos preços, a diminuição do poder de compra e com uma classe política bastante desacreditada. Em resumo: o povo sofre.

Dê sua opinião:

Veja Também