Operação Topique

Polícia Federal fez buscas na casa e gabinete da deputada Rejane Dias

Segundo a polícia, 12 mandados de busca e apreensão foram realizados nos municípios de Teresina e Brasília.

Na manhã desta segunda-feira (27), a Polícia Federal no Piauí, realizou um trabalho em conjunto com a Controladoria-Geral da União e o Ministério Público Federal, para deflagar a terceira etapa da Operação Topique, que deu cumprimento a 12 mandados de busca e apreensão no município de Teresina (PI) e Brasília (DF).

Estão sendo cumpridos mandados na Secretaria Estadual de Educação (Seduc), na residência da ex-secretária de Educação Rejane Dias (PT), no gabinete da deputada na Câmara e na casa do irmão da parlamentar, Rogério Ribeiro.

De acordo com a Polícia Federal (PF), as ações de hoje são uma continuidade das investigações realizadas pela Operação Topique, que foram realizadas em agosto de 2018, e a Operação Satélite, que aconteceu em setembro de 2019. As empresas que foram investigadas estavam atuando juntas, em um esquema criminoso, onde combinavam as propostas durante os processos licitatórios que eram realizados pela Seduc.

A Polícia Federal está investigando os crimes de organização criminosa, corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e crimes de licitação praticados no âmbito da Secretaria de Educação do Estado do Piauí (Seduc).

Investigações 

A PF, divulgou em nota que as informações obtidas nas duas primeira operações deflagradas, apontaram que entre os anos de 2015 e 2016, os agentes públicos da cúpula administrativa da Seduc se associaram a empresários que pertenciam ao setor de locação de veículos para o desvio de R$ 50 milhões de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e o Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar - PNATE.

Os 12 mandados de busca e apreensão que foram deflagrados hoje, tinham como objetivo aprofundar as investigações a respeito do recebimento e solicitação de bens e valores, diretamente ou por intermediários, por agentes públicos com poder de comando na Seduc.

Segundo a PF, as investigação apontaram que os recursos públicos foram desviados a partir de pagamentos superfaturados em contratos de transporte escolar.

“As empresas beneficiadas, destinatárias de pagamentos em volume cada vez maior a partir de 2015, formavam um consórcio criminoso estável e estruturado, simulavam concorrência em licitações e, com participação de servidores públicos, se beneficiavam de contratos fraudulentos”, disse.

Além disso, as investigações também apontam que as empresas investigadas atuaram em conjunto em fraudes licitatórias em vários municípios do Piauí desde o ano de 2008.

Buscas e apreensões 

A Polícia Federal está cumprindo mandados de busca e apreensão na casa do governador Wellington Dias (PT) e da deputada federal Rejane Dias (PT), ex-secretária de Educação do Piauí e primeira dama do governador. A PF também estava no gabinete da parlamentar na Câmara dos Deputados, e na casa e empresas do irmão dela, Rogério Ribeiro.

Também foi dado cumprimento a mandado na casa do irmão de Rejane, Rogério Ribeiro, onde foi encontrada uma arma de fogo, que possui registro, além de dinheiro, onde o valor total ainda não foi informado. No gabinete da deputada, o mandado de busca foi cumprido após autorização da ministra do Supremo Tribunal Federal, Rosa Weber.

Mais conteúdo sobre:
Operação TopiquePolícia FederalRejane DiasSeduc

Dê sua opinião: