Residenciais Bem Viver

MPPI entra em ação contra Teresina por irregularidade de transporte alternativo

A denúncia é resultado de um inquérito instaurado pela Polícia Civil que apurava a má prestação do serviço de transporte público coletivo municipal.

O Ministério Público do Piauí (MPPI) ajuizou uma ação civil pública contra o município de Teresina para regularizar o transporte público alternativo na região dos Residenciais Bem Viver I e Bem Viver II, no bairro Lourival Parente. A ação foi assinada pela promotora de Justiça Gladys Gomes Martins de Sousa.

A denúncia é resultado de um inquérito instaurado pela Polícia Civil que apurava a má prestação do serviço de transporte público coletivo municipal na região dos Residenciais. Foram realizadas sete audiências com os moradores da região, representantes da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) e motoristas/proprietários das vans responsáveis pelo transporte alternativo. 

  

Onibus sucateados em Teresina Divulgação

Os moradores e usuários do transporte coletivo alegaram o descumprimento dos percursos e horários das vans definidos pelo poder público municipal, tratamento desrespeitoso dos funcionários das vans com os cidadãos e más condições das ruas por onde circulam os veículos.

A ação ajuizada tem o propósito de regularizar o serviço de transporte a partir do aumento de número de vans e definir rotas e horários que atendam aos interesses dos cidadãos. Além de determinar à Strans a intensificação da fiscalização do cumprimento das ordens.

O magistrado Aderson Antonio Brito Nogueira ficará responsável pelo julgamento da ação.

Mais conteúdo sobre:
MPPI

Dê sua opinião: