Gustavo Almeida

Opinião

O fogo e o ‘amor de rede social’ pela Serra da Capivara

Incêndio próximo ao Parque da Serra da Capivara deve servir de lição.

Todos têm acompanhado há uma semana o incêndio que atinge o município de São Raimundo Nonato, no Sul do Piauí. As chamas que destroem a caatinga chegaram a avançar na direção do Parque Nacional da Serra da Capivara, um patrimônio histórico e cultural da Humanidade. O fogo também se espalhou em direção à zona urbana e o Piauí inteiro acompanhou com apreensão e viu o desespero dos moradores da região.

Esse incêndio precisa servir de lição para os governantes do Piauí e para políticos filhos daquela terra. São Raimundo Nonato é o berço de um senador da República e de uma deputada federal. Tem deputado estadual e secretários de Estado. O controle de órgãos ambientais no Piauí, como a Semar e o Ibama, está nas mãos de uma deputada filha da cidade. O próprio fato de ali estar a Serra da Capivara já seria motivo para que houvesse maior atenção com a região, mas ter vários ‘filhos da terra’ influentes na política reforça essa obrigação.

Incêndio no município de São Raimundo Nonato (Foto: André Pessoa)

A região não possui sequer uma unidade de Corpo de Bombeiros e está desprotegida contra tragédias dessa e de outra natureza. Um helicóptero do governo do Piauí só chegou à cidade cinco dias depois do fogo se alastrar. É nessa hora que surgem perguntas. Cadê as autoridades que enaltecem a Serra da Capivara nas entrevistas? Cadê os políticos naturais da cidade que poderiam lutar com afinco não apenas quando o fogo se alastra?

É necessário que o amor pela Serra da Capivara não fique apenas na seara virtual. Está na hora do sentimento de pertencimento pela região não ser apenas para usar em discursos floridos ou para postar em datas especiais. Esse incêndio devastador trouxe à tona o quanto São Raimundo Nonato, a Serra da Capivara e toda a região são frágeis diante de tragédias, mesmo com tantos filhos influentes na cena estadual e até nacional.

Quando o fogo se espalhou morro acima, só o que víamos eram postagens de vários políticos falando em força-tarefa, esforços e dedicação total no combate ao fogo. Houve, de fato, uma concentração de esforços – e isso é louvável – para tentar conter o incêndio. Mas, o que fizeram antes? Por que não concentraram esforços para garantir uma unidade do Corpo de Bombeiros ali? Por que a região fica tão vulnerável em caso de incêndio?

Chamas avançaram em direção à zona urbana de São Raimundo (Foto: André Pessoa)

Vendo a carência de estrutura para combater o fogo e preocupado, de verdade, com a preservação do acervo histórico e cultural do Parque Nacional da Serra da Capivara, o humorista piauiense Whindersson Nunes enviou um avião para ajudar a controlar o fogo. Uma equipe da assessoria dele também foi a São Raimundo Nonato. Tratou-se de uma ação de iniciativa particular, louvável, de alguém que se preocupa.

Que esse fatídico incêndio sirva de lição. Que os políticos do Piauí, em especial aqueles naturais de São Raimundo Nonato, façam jus ao amor que tanto decantam pela região. Que os esforços não apareçam apenas quando tivermos fogo na mata. Está na hora do amor pela Caatinga e pela Serra da Capivara não ser apenas um amor de rede social.

Mais conteúdo sobre:
Governo do PiauíParque Nacional da Serra da CapivaraPiauí

Dê sua opinião: