Gustavo Almeida

Piauí

Prefeitos "fura-fila" podem ter impacto nas prestações de contas, diz Lilian Martins

Presidente do TCE-PI informa que casos podem ter repercussão nos julgamentos das prestações de contas dos gestores municipais.

A presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), conselheira Lilian Martins, falou nesta quarta-feira (27) em entrevista à Band Piauí sobre os casos de prefeitos que furaram a fila da vacinação contra a Covid-19 no Piauí. Segundo ela, esses gestores podem sofrer impacto negativo no julgamento das prestações de contas de gestão.

Lilian Martins faz alerta a gestores municipais (Foto: Gustavo Almeida)

Lilian ressaltou que cabe ao Ministério Público do Estado do Piauí (MP-PI) tratar judicialmente desses episódios, mas apontou que, por se tratar de uma política pública de saúde nas cidades, pode haver repercussão negativa nas prestações de contas dos gestores municipais.

“No Piauí nós temos alguns casos, mas direcionamos a quem deverá realmente investigar, que é o Ministério Público Estadual. Agora é óbvio que uma atitude dessa impactará negativamente nas suas prestações de contas, porque isso leva a outros desdobramentos. Não é por si só a vacinação, por ter fugido da lista. Existem motivações que podem prejudicar a população dos municípios a partir dessas atitudes. Então pode influenciar o julgamento das prestações de contas tendo em vista que foi uma política pública que, de certa forma, foi deformada”, explicou.

No Piauí, ficaram conhecidos os casos dos prefeitos de Guaribas, Joercio Matias (MDB), e de Uruçuí, Dr. Wagner (Progressistas). Os dois gestores municipais tomaram a vacina contra a Covid-19 mesmo sem estarem no grupo prioritário da primeira fase da vacinação.  


Mais conteúdo sobre:
Covid-19MPPITCE-PI

Dê sua opinião: