Caso vereador Artranho Mota

Um mês após o crime, mãe de adolescente vítima de assédio sexual afirma que nenhuma ação foi tomada

Em vídeo enviado ao Lupa1, Gracilene realiza um apelo às autoridades para que algo seja feito.

O presidente da Câmara Municipal de Luís Correia, vereador Artranho Mota, está sendo acusado de cometer assédio sexual contra o sobrinho de sua esposa, um adolescente de 16 anos. De acordo com a mãe da vítima, Gracilene Alves da Silva, o crime aconteceu no dia 11 de dezembro e, até o momento, nenhuma ação foi tomada sobre o ocorrido.

Segundo o adolescente, Artranho mandou mensagem durante a madrugada e chegou a mandar fotos ilícitas para o jovem.

“Era depois do aniversário dele, de madrugada, e ai ele começou a me mandar mensagem perguntando o que que eu estava fazendo. Ai eu falei q estava jogando, e eu continuei jogando. Quando deu umas 4h15, ele me ligou três vezes, eu recusei e continuei jogando. Ele começou a me mandar mensagem, mandou essas fotos aí e ficou dizendo que ‘era o que eu gostava’”, afirmou.

  

Vereador Artranho Mota, acusado de assédio sexual Reprodução

A mãe da vítima tentou registrar um boletim de ocorrência na delegacia de Parnaíba no dia 13 de dezembro, após ter conhecimento do crime, porém, foi encaminhada para a delegacia de Luís Correia, que informou que ela só poderia registrar um depoimento no dia 20 de dezembro. Em vídeo enviado ao Lupa1, Gracilene realiza um apelo às autoridades para que algo seja feito.


Merging Result.pdf

O Lupa1 tentou entrar em contato com Artranho Mota, mas até o fechamento desta reportagem, não obteve retorno.


Dê sua opinião: