Relatório

Polícia Civil divulga resultados referentes à segurança piauiense no ano de 2021

De acordo com o secretário de segurança pública, a legislação que diz respeito sobre crimes de menor potencial ofensivo deveria ser modificada.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública do Piauí (SSP-PI) realizou nesta quinta-feira (20) uma coletiva de imprensa às 11h30, no auditório da Delegacia Geral de Polícia Civil. Na ocasião, foram apresentados os dados da Segurança referente ao ano de 2021 no Estado. 

De acordo com o secretário de segurança, Coronel Rubens Pereira, está sendo organizado uma Força Tarefa em conjunto com a Polícia Federal de Parnaíba, as delegacias regionais e a Polícia Civil para realizar um trabalho ostensivo no litoral.

“Estamos organizando uma frente de investigação com a delegacia regional lá no litoral, da Polícia Federal de Parnaíba e a Polícia Civil. Então é um grupo organizado, por isso que nós estamos chamando de Força Tarefa, que se organiza nesse momento para esse enfrentamento. Os resultados já estamos sentindo, nos 16 primeiros dias do mês de janeiro, nós já estamos encontrando aí uma redução nas mortes violentas intencionais.”

  

Auditório da Polícia Civil
Lucas Rangel/ Lupa1

Ainda de acordo com o secretário Rubens, a legislação que diz respeito sobre crimes de menor potencial ofensivo deveria ser modificada, devido a facilidade com que as reincidências ocorrem.

“A Polícia Civil faz sua obrigação e está fazendo, nós sabemos que, para os crimes de menor potencial ofensivo, a legislação não permite a prisão dessas pessoas. É daí que vem os roubos e os furtos de celulares. Muitas vezes, a guarnição que atende aquela ocorrência chega no local da ocorrência, já levou a pessoa para o distrito, ou inclusive ela até já passou pela audiência de custódia. Mas ela retorna ao local para praticar os mesmos crimes, mas isso porque a legislação permite. Se não, se ele não for solto, se ele não for lavrado, a autoridade policial judiciária responde por abuso de autoridade. Então é uma legislação, na minha opinião, que precisa ser modificada, sobretudo, em relação a reincidência”, afirmou.

relatório 2021cópia publico.pdf

Sobre o resultado geral das ocorrências registradas em 2021, o delegado geral da Polícia Civil, Luccy Keiko, informou que, apesar de haver uma redução no número de latrocínios, houve um acréscimo no número de boletins de ocorrência registrados por crime de roubo, instauração de inquéritos e cumprimentos de mandados de prisão.

“Muitas vítimas possuem antecedentes criminais. Em um levantamento preliminar, quase 50% das vítimas que foram analisadas possuíam algum antecedente criminal. Houve também a redução do número de latrocínios. Então assim, pode-se tirar a conclusão que aquela pessoa que está envolvida no mundo do crime, ela tem uma tendência maior a ser morta de forma violenta. Nós tivemos ai mais de 20 mil boletins registrados por crime de roubo, mas também tivemos um acréscimo muito grande no numero de inquéritos instaurados para apurar esse tipo de delito. Bem como o acréscimo do cumprimento de mandados de prisão, em relação a crimes violentos praticados em todo o Piauí”, informou o delegado.

Mais conteúdo sobre:
Governo do PiauíPolícia CivilPolícia FederalPolícia Militar

Dê sua opinião: