Vinicius Vainner

Diarista conta detalhes do caso Izadora Mourão

“Queria me incriminar”, disse em depoimento à polícia.

É cada vez mais óbvio o que as investigações da Polícia ainda não revelaram oficialmente. Além do irmão, outros familiares podem estar envolvidos diretamente no assassinato da advogada Isadora Santos Mourão morta com várias perfurações no pescoço na cidade de Pedro II, no último sábado. A polícia já prendeu o irmão da vítima, João Paulo Mourão, principal suspeito.

João Paulo Mourão
suspeito

A perícia comprovou que ele foi o responsável pelo assassinato da própria irmã. Mas esse história ainda não terminou. As investigações apontam que ele teve ajuda de outras pessoas. Inicialmente, o jornalista disse a polícia que uma mulher teria entrado na casa e cometido o crime. Depoimento confirmando pela mãe dele. Mas a polícia já descartou essa possibilidade com base nas provas encontradas. A mãe da advogada continua afirmando que não sabia da morte da filha e que chamou a diarista para limpar a casa sem saber o que estava acontecendo. Também afirmou que não ouviu nada. Nenhum barulho ou pedido de socorro. O que chama a atenção, é a tranquilidade dela ao contar detalhes do caso, disse um policial. 

Maria Nerci - mãe de Izadora Mourão 

Versão contrária do depoimento da faxineira, que falou a polícia que a mãe a contratou para limpar lençóis e o quarto sujos de sangue, o que fez ela desconfiar que algo estava errado. “Queria me incriminar”, disse a diarista em depoimento a polícia. Os últimos resultados da perícia devem sair nos próximos dias e revelar qual foi a participação da mãe da advogada nesse crime. 

Dê sua opinião: