Renato Montanha

MPPI reúne instituições e familiares de alunos para diálogo sobre aulas

Ficou definido que demandas apresentadas integrarão um documento a ser realizado pelo MPPI, para um processo de retomada das aulas presenciais.

Nessa quinta-feira (11), foi realizada uma reunião sob a coordenação do Ministério Público do Estado do Piauí - MPPI, para tratar da priorização do setor educacional no contexto da pandemia da covid-19 e das possibilidades de manutenção do processo de retomada das aulas presenciais no Estado.

Mediada pela representante da 38ª promotoria de Justiça de Teresina e coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação e Cidadania (CAODEC), Flávia Gomes, a audiência virtual contou com a participação de representantes de diversos segmentos importantes para que o corrente processo de retomada das aulas presenciais aconteça de forma segura.

“Essa audiência acontece com base no procedimento administrativo que instauramos, no último dia 10, com o objetivo de acompanhar e fiscalizar a retomada das atividades escolares em Teresina. Nosso entendimento é que esse diálogo é fundamental para construção de soluções conjuntas”, pontuou Flávia Gomes, durante a reunião.

Representantes do Sindicato dos Professores e Auxiliares da Administração Escolar do Estado do Piauí (Sinpro); do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino (Sinepe); do Conselho Estadual de Educação; da Secretaria Estadual de Saúde; do Comitê de Operações Especiais (COE); da Vigilância Sanitária; de professores; familiares dos alunos e profissionais que atuam na linha de frente do enfrentamento à covid-19, apresentaram suas demandas e sugestões.

A Diretora da Vigilância Sanitária do Estado (DIVISA), Tatiana Chaves, comentou dados acerca do trabalho de fiscalização que os profissionais da Vigilância têm realizado para evitar aglomerações e sobre a atual fila de espera para conseguir leitos no Piauí. Já a médica infectologista Elna Amaral, que atua no Hospital Natan Portela, alertou para o crescimento do contágio pelo coronavírus. O diretor do Hospital Infantil do Piauí, Vinicius Nascimento, corroborou a respeito da importância da construção de decisões sociais conjuntas.

O secretário geral do Sindicato dos Professores e Auxiliares da Administração Escolar do Estado do Piauí (Sinpro), Marcelo Amorim, solicitou o cumprimento dos protocolos de segurança para evitar os contágios no ambiente escolar.

A representação dos familiares dos estudantes foi garantida por meio da participação da servidora pública Ilara Madeira. O posicionamento do Conselho Estadual de Educação sobre o assunto foi pontuado pelas conselheiras Gildete Sousa e Viviane Faria. Ambas discorreram a propósito dos impactos da pandemia na educação e deram exemplos de como tem funcionando o sistema de aulas remotas no Piauí.

Informações relativas à situação dos leitos e sobre o processo de vacinação no Estado foram dadas por representantes da Sesapi. Entre eles, o superintendente de Gestão da Rede de Alta e Média Complexidade da Sesapi, Alderico Tavares.

Diversos professores também deram depoimentos com relação à situação das aulas presenciais em Teresina. Marcela Rangel, diretora do Instituto Dom Barreto, compartilhou com os partícipes da reunião como tem sido a experiência de retomada das aulas presenciais nessa escola teresinense.

Como encaminhamento da audiência, ficou definido que as proposições e demandas apresentadas integrarão um documento a ser realizado pelo MPPI para que se obtenha um diagnóstico do contexto em que ocorre o processo de retomada das aulas presenciais no Piauí.

Mais conteúdo sobre:
MPPI

Dê sua opinião: