Gustavo Almeida

Emedebistas insatisfeitos: "17 coordenadores do PRO-Piauí e nenhum do MDB"

Lideranças da sigla se reuniram para tratar sobre eleições de 2022.

A direção regional do MDB reuniu as principais lideranças do partido na manhã desta segunda-feira (3). O encontro aconteceu na sede do Diretório Regional do partido.

Emedebistas reunidos na sede do MDB no Piauí (Foto: Assessoria/Marcelo Castro)Na reunião, os emedebistas mostraram insatisfação com o tratamento dado ao partido pelo governador Wellington Dias (PT). Um dos pontos é com relação ao PRO-Piauí, principal trampolim político do pré-candidato a governador Rafael Fonteles (PT). Fonteles é o coordenador-geral do programa no estado.

A avaliação dos emedebistas é que Rafael conduz o programa e pavimenta sua candidatura sem lembrar do MDB. O deputado estadual Henrique Pires mencionou que o governador criou 17 coordenadorias do PRO-Piauí e nenhuma foi dada ao MDB.

"Nós precisamos do comprometimento do governador para o fortalecimento do MDB. O governo lança o PRO-Piauí, são 17 coordenadores e nós não fomos chamados. Aqui na reunião ninguém foi chamado, perguntado, sugerido para poder indicar nenhum. E o PRO-Piauí o senador Marcelo Castro botou quase 1 bilhão de reais", desabafou Henrique Pires.

Wellington Dias até que nomeou a ex-deputada estadual Liziê Coelho, que é do MDB, para uma das coordenadorias. Porém, a escolha foi pessoal do governador e nada tem a ver com o partido.

Candidatura própria
O prefeito de Teresina Dr. Pessoa também participou da reunião e defendeu que o MDB tenha seu próprio candidato a governador. O gestor da capital não simpatiza com a pré-candidatura do petista Rafael Fonteles.

"Eu disse claramente [na reunião]. O MDB é um partido grande e que deve se apresentar com um pré-candidato a governador do estado do Piauí", falou o prefeito.

Dê sua opinião:

Veja Também

João Vicente Claudino e a lenda urbana

João Vicente Claudino e a lenda urbana

Salvem os nossos livros

Salvem os nossos livros