Aeroporto de Teresina volta a ter grande fluxo de passageiros

O movimento de passageiros no aeroporto de Teresina indica a recuperação do fluxo turístico.

O transporte aéreo de passageiros foi uma das atividades mais afetadas pela pandemia da covid-19. A demanda por voos domésticos no Brasil retraiu em 93% e os voos internacionais praticamente foram paralisados em abril e maio, segundo dados da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas).

O movimento de passageiros no aeroporto de Teresina indica a recuperação do fluxo turístico, de acordo com a Coordenação de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMDEC), da Prefeitura de Teresina, com base em dados fornecidos pela Infraero.

Com o início da Pandemia, o fluxo despencou para 5.601 passageiros em abril, mas mostrando uma recuperação ascendente a partir de maio de 2020 e até janeiro de 2021, quando aconteceu a segunda onda da Covid-19.

A população reduziu o número de voos nos quatro primeiros meses do ano. Entre janeiro e abril de 2021, observou-se uma queda de 54% no fluxo de embarcados e desembarcados. No entanto, a partir de maio constatou-se um crescimento de 35% em relação ao mês anterior, passando de 36.800 para 49.703 passageiros embarcados e desembarcados pelos portões do aeroporto.

De forma preocupante, são os aeroportos que apresentam maior potencial para espalhar rapidamente novas variantes do vírus para outras regiões, de acordo com o Observatório Covid-19 BR. Nesse sentido, os Estados receptores de grande número de viajantes devem ter como uma de suas principais preocupações evitar a aproximação das pessoas no embarque e desembarque das aeronaves.

Confira o infográfico de contágio dentro de um avião:

Fonte: Prefeitura de Teresina

Mais conteúdo sobre:
Aeroporto Senador Petrônio PortellaCovid-19InfraeroSemdec

Dê sua opinião: