Lupa 1
Vinicius Vainner

O Raio-X das obras de duplicação no Piauí

É difícil entender porque tanta demora para entrega das principais obras de duplicação nas principais estradas do Piauí?! Iniciada em 2013, a obra da BR 316, por exemplo, entre Teresina e Demerval Lobão, foi divida em dois trechos:

O primeiro, de responsabilidade do Governo Estadual, começa em frente à Casa de Custódia e vai até as imediações do posto da Polícia Rodoviária Federal. A construção está praticamente finalizada, mas ainda faltam alguns detalhes e acabamentos, como as três passarelas de pedestre.

O outro trecho, de responsabilidade do Governo Federal, através do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT), deve continuar com a duplicação até a cidade de Demerval Lobão.

BR-316

No Piauí, a rodovia cruza a região urbana de Teresina e serve como rota para o escoamento da produção agrícola da região, conhecida como "Matopiba", que abrange os estados do Tocantins, Piauí, Bahia, e Maranhão.  

Uma placa foi colocada nas imediações do rodoanel, no segundo trecho da obra, orçada em R$63 milhões. O projeto tem como objetivo realizar a duplicação por pelo menos 20 km.


Na placa, é possível ver a data de início (7 de janeiro de 2020) e de conclusão, que estava prevista para acontecer no próximo dia 27 de março. Mas não existem máquinas nem obras no local, o que torna a finalização impossível.

De acordo com o DNIT, a data prevista para o término da obra está errada. A superintendência afirma que a duplicação foi iniciada nesses seis primeiros meses pela parte burocrática. 


Ribamar Bastos / Sup. DNIT


Segundo o Superintendente do DNIT, Ribamar Bastos, a previsão é que a obra seja entregue até dezembro deste ano. A superintendência garantiu que será estendido 20km no trecho entre as cidades de Demerval Lobão e Monsenhor Gil.


Na BR-343, na saída de Teresina para o Norte do Piauí, a obra de duplicação foi inaugurada em agosto do ano passado. Os serviços de terraplanagem, sinalização, pavimentação e drenagem alcançaram 90% de conclusão. 

São quase 10 km de duplicação. O investimento do Governo do Estado foi de R$45 milhões, através do programa PRO Piauí.

A boa notícia é a possibilidade de continuação da duplicação até a cidade de Altos. O trecho restante tem 29 km de extensão. 

A execução seria feita pelo DNIT. Recentemente, o senador Elmano Férrer se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro, que demonstrou apoio ao projeto, em Brasília para discutir a obra.
Elmano Férrer e Jair Bolsonaro 
Mas algumas obras de duplicação em estradas importantes no Piauí, seguem atrasadas e sem datas de conclusão.

Em dezembro do ano passado, a rotatória da Ladeira do Uruguai, na Avenida João XXIII, na zona Leste de Teresina, foi fechada para a obra de rebaixamento da Avenida. Até o momento, a obra segue sem data oficial para conclusão.

Av. João XXIII
O mesmo acontece com a obra de duplicação do trecho urbano da BR-343, em Teresina, próximo ao mercado do peixe. A situação por lá é ainda mais grave. Iniciada em 2019, depois de várias paralisações, deveria ter sido inaugurada em julho do ano passado.


Segundo o DNIT, um dos fatores que atrasaram a obra foi a pandemia que parou o setor de construção civil e gerou problemas financeiros na empresa responsável.


Ainda de acordo com o DNIT, a empresa foi notificada várias vezes por ter paralisado a obra sem comunicar. Avaliada em R$ 100 milhões, a obra prevê serviços no trecho entre a Ladeira do Uruguai e a ponte do Tancredo Neves. O projeto contempla ainda a construção de dois viadutos rodoviários, um na rotatória do Mercado do Peixe e outro na entrada da ponte Anselmo Dias, e três viadutos ferroviários. Grande parte das emendas foi liberada pelo próprio senador, que criticou os atrasos na obra.

Elmano Férrer / senador


“Queria entender o que está acontecendo! É muito tempo para essa obra ficar parada. Quero saber se a culpa é do DNIT no Piauí ou do DNIT de Brasília. Isso que tá me desgastando e me revoltando!
”, Disse o Senador.

DÊ SUA OPINIÃO