Política

Presidentes da Câmara e do Senado defendem que iniciativa privada vacine funcionários

Ideia é que as empresas possam iniciar a vacinação dos seus trabalhadores, o que atualmente é proibido.

Os presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG), respectivamente, defendem que a iniciativa privada seja autorizada a imunizar seus trabalhadores contra a Covid-19. Na primeira reunião do comitê de crise de combate à pandemia, realizada nesta quarta-feira (31), eles defenderam que empresas possam iniciar o processo de imunização, o que atualmente não é permitido.

Arthur Lira e Rodrigo Pacheco (Fotos: Agência Brasil)

Para Arthur Lira, o país vive uma guerra contra a doença e por isso vale tudo para combatê-la. O Congresso aprovou, no começo do mês, um projeto de lei autorizando o setor privado a adquirir vacinas contra Covid. No entanto, o texto estabelece que, enquanto durar a vacinação dos grupos prioritários, todas as doses compradas pela iniciativa privada deverão ser doadas ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Agora, a intenção é fazer com o Congresso aprove uma norma legal que permita a iniciativa privada fazer a imunização, independentemente da fila de prioridades.

“A iniciativa privada talvez possa ter uma agilidade, por outros caminhos, em trazer outras vacinas para o Brasil. E qualquer brasileiro vacinado é um a menos na estatística que pode correr risco de contrair o vírus. Estamos em uma guerra e na guerra vale tudo. Talvez algumas regras tenham que ser modificadas, mas no interesse de um debate amplo e transparente”, disse o presidente da Câmara, Arthur Lira.

A proposta foi levada ao presidente Jair Bolsonaro nesta quarta-feira (31).


Mais conteúdo sobre:
Arthur LiraCovid-19Jair BolsonaroSUS

Dê sua opinião:

Veja Também