Transporte público de Teresina pode parar totalmente, afirma advogada

Advogada de empresários do transporte público afirmou que repasses devem ser realizados para que o sistema volte ao normal.

A crise do transporte público de Teresina pode piorar nos próximos dias com a paralisação total da frota de ônibus que circula na capital.

Na manhã desta quinta-feira (10), após realização de mais uma sessão da CPI do Transporte Público de Teresina, na Câmara Municipal (CMT), a advogada dos empresários, Naiara Moraes, confirmou que Teresina vai ficar sem ônibus, parando totalmente.

"Eles [empresários] querem é esclarecer as dificuldades que eles estão vivendo, porque o sistema vai parar. Vai parar porque a maior parte dos empresários não consegue viver só com o dinheiro da catraca no contexto de pandemia", afirmou Naiara Moraes.

De acordo com a advogada, os empresários precisam que repasses sejam realizados para que o sistema volta ao normal, pois durante a pandemia, o fluxo de passageiros diminuiu afetando diretamente na arrecadação. 

O Setut divulgou que desde o início da crise sanitária do coronavírus, a queda na arrecadação das empresas do setor vem caindo de forma contínua, chegando aos 90% em março deste ano, acompanhada pela diminuição gradual de passageiros transportados e aumentando o déficit entre os custos da operação do transporte e os valores obtidos para fechar a conta.

"É necessário o pagamento do valor atrasado, o cálculo da TPI para a gente se certificar dos valores em abertos e a regularidade desses pagamentos mensais. O sistema para  porque a quantidade de pessoas que está circulando é muito menor e a liberação de outros modais para o sistema faz com que diminua a quantidade de passageiros pagantes. É um estrangulamento que vai sendo contínuo, e acreditamos que em poucas semanas isso vem a ter uma situação de dificuldade total ainda neste semestre", explicou Naiara.

Mais conteúdo sobre:
Câmara Municipal de TeresinaSETUT

Dê sua opinião: